Grupo de Estudos
Seja bem vindo ao Fórum GEENF!


Att. GEENF

Até setembro, hipotermia será incluída na lista de procedimentos em pacientes com parada cardíca

Ir em baixo

02072011

Mensagem 

Até setembro, hipotermia será incluída na lista de procedimentos em pacientes com parada cardíca





Hipotermia: com o uso da técnica, cerca de 30% dos pacientes que tiveram uma parada cardíaca conseguem sobreviver sem sequelas (Thinkstock)



A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) está finalizando o consenso brasileiro que vai incluir o uso da hipotermia terapêutica no tratamento de pacientes que estão em parada cardíaca. O objetivo é evitar sequelas neurológicas. A diretriz da Aliança Internacional dos Comitês de Ressuscitação (Ilcor) foi publicada em outubro do ano passado. Desde então, cardiologistas brasileiros estão preparando o documento que vai servir de guia para os hospitais do país. A publicação nacional ocorrerá em setembro.

A técnica consiste em resfriar a temperatura do paciente a 32ºC durante 24 horas — a temperatura média do corpo humano é de cerca de 36,5ºC. O paciente recebe bolsas de gelo na região do pescoço, das axilas e do abdome, além de soro gelado na veia. A temperatura é controlada por meio de um termômetro endovenoso para evitar erros, uma vez que ela não pode ser inferior a 32ºC para o paciente não correr risco de entrar em choque térmico. O aquecimento do corpo é feito espontaneamente, apenas retirando as bolsas de gelo.

Mais importante do que induzir a pessoa à hipotermia é manter a temperatura correta. Por isso, é fundamental que as equipes sejam bem treinadas. “Vamos publicar o consenso e isso requer educação continuada”, diz o cardiologista Sérgio Timmerman, diretor do laboratório de treinamento em emergências cardiovasculares do Instituto do Coração (Incor) e responsável pelo texto do consenso.

A partir da publicação do consenso, a hipotermia passará a ser oficialmente considerada mais uma arma terapêutica no tratamento desses pacientes. “O maior desafio será encontrar formas de colocar isso em prática nos hospitais”, diz o médico intensivista Agnaldo Pispico, diretor do Centro de Treinamento da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo.

De acordo com Pispico, quando o paciente entra em parada cardíaca, o cérebro sofre por causa da falta de oxigênio. Estudos internacionais apontam que o frio provocado pela hipotermia reduz o metabolismo cerebral e evita o desgaste celular — o que diminui o risco de sequelas.

Em geral, cerca de 30% dos pacientes sobrevivem sem sequelas. Sem o uso da técnica, no entanto, os resultados costumam ser bem piores: estima-se que entre 60% e 90% dos pacientes morrem logo após sofrer a parada. Dos que sobrevivem, cerca de 80% ficam com sequelas neurológicas graves.
Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/pais-tera-guia-para-uso-de-hipotermia-em-pacientes-com-parada-cardiaca

_________________
avatar
Pâmela Patrícia
Admin

Mensagens : 1881
Data de inscrição : 11/02/2010
Idade : 34

Ver perfil do usuário http://geenf.forumpratodos.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum